outro outro
A MOSTRA
O 1º CINE ATLÂNTICO – Mostra de Cinema Português de Hoje decorre de 24 a 27 de Novembro. Com nove dos melhores filmes portugueses (ficção e documentário) da atualidade e uma merecida homenagem ao ator-realizador Nicolau Breyner. Numa organização do Cine-Clube da Ilha Terceira.

 

Durante quatro dias pode assistir a nove filmes, numa sala cheia de pergaminhos cinematográficos, propriedade da centenária Sociedade Filarmónica Recreio dos Artistas. E dialogar com quatro realizadores, no final das exibições: Paulo Filipe Monteiro (realizador de Zeus, dia 24, pelas 21h30), António-Pedro de Vasconcelos (realizador de Os Imortais, dia 25, pelas 21h30), Marta Pessoa (realizadora de O Medo à Espreita, dia 26, pelas 21h30) e António Borges Correia (realizador de Os Olhos de André, dia 27, pelas 18h30).

 

Zeus, de Paulo Filipe Monteiro, uma extraordinária homenagem à figura de Manuel Teixeira Gomes (interpretado por Sinde Filipe), é o filme de abertura, em estreia nacional absoluta. Ao passo que Cartas da Guerra (2016), de Ivo. M. Ferreira, baseado na obra de António Lobo Antunes, será o filme de encerramento. Vão estar ainda em exibição filmes que nunca estrearam na ilha Terceira, como Cavalo Dinheiro (2014) de Pedro Costa, Montanha (2015) de João Salavisa, Yvone Kane (2014) de Margarida Cardoso, Os Olhos de André (2015) de António Borges Correia e os documentários Medo à Espreita (2015) de Marta Pessoa e O Cinema, Manoel de Oliveira e Eu (2016) de João Botelho, este acabado de chegar às salas de cinema.

 

Dir-se- ia que os temas da repressão e guerra colonial atravessam subtilmente esta programação do 1º CINE ATLÂNTICO – Mostra de Cinema Português de Hoje, tanto na ficção como nos documentários apresentados. Por isso, para homenagear o grande Nicolau Breyner, escolheu-se Os Imortais, filme que o imortaliza no seu melhor papel no cinema e que é, também, uma das melhores obras de António-Pedro Vasconcelos e do cinema português sobre as consequências e marcas da guerra colonial. António-Pedro Vasconcelos, cineasta e excelente comunicador, estará entre nós não só para apresentar o seu filme, como também para falar e homenagear o seu amigo Nicolau Breyner.

 

O cinema português está bem e recomenda-se. Isso mesmo se pode ver pela diversidade de géneros e de modos de produção: do cinema de autor aos documentários de investigação, passando pelos remakes de comédias nacionais dos anos 40. Na verdade, o número de estreias nas salas tem aumentado significativamente e o público vai aderindo aos poucos, ultrapassando velhos preconceitos em relação à qualidade e uniformidade dos filmes. Para além disso, nos últimos anos, os filmes portugueses têm obtido vários prémios nos maiores festivais internacionais de cinema.

 

É igualmente este reconhecimento nacional e internacional que o 1º CINE ATLÂNTICO – Mostra de Cinema Português de Hoje quer dar ao cinema português, trazendo à Ilha Terceira os melhores filmes portugueses de ficção e documentário da atualidade. Evento que se constitui, ao mesmo tempo, como um ensaio para um projeto mais ambicioso ou o embrião de um novo festival de cinema, a realizar no curto prazo em Angra do Heroísmo e que percorra, também, todas as ilhas dos Açores.

 

O Cine Atlântico é um projeto do Cine-Clube da Ilha Terceira, em parceria com a Sociedade Filarmónica Recreio dos Artistas e a Junta de Freguesia da Sé, que pretende, a par de outras atividades regulares promovidas pelo CCIT, recuperar aquela que foi uma sala de cinema de excelência na cidade de Angra do Heroísmo.

 

Para a realização desta mostra, contou o Cine-Clube da Ilha Terceira com a colaboração/programação do jornalista e crítico de cinema José Vieira Mendes, com o apoio do Governo dos Açores, das câmaras municipais de Angra do Heroísmo e Praia da Vitória, da Junta de Freguesia da Sé, da Sociedade Filarmónica Recreio dos Artistas e da Associação Cultural Burra de Milho, entre outras instituições e parceiros.
PROGRAMA
FILMES

ZEUS

YVONE KANE

7.4

OS IMORTAIS

7.1

CAVALO DINHEIRO

6.7

MONTANHA

?

O MEDO À ESPREITA

7.0

O CINEMA, MANOEL DE OLVEIRA EU

6.9

OS OLHOS DE ANDRÉ                          

6.8

CARTAS DE GUERRA                          

©[2016] [WebDesign - Marco Pereira // WebDevelop - André Pereira]